Todas as meninas e mulheres profissionais deveriam ler esse livro, assistir a série GIRLBOSS e ler esse depoimento da Sophia Amoruso.

#GIRLBOSS não é apenas o relato de uma das empreendedoras que alcançou sucesso cedo, #GIRLBOSS é uma atitude e uma filosofia para todas as mulheres que desejam suceder na vida profissional.

Eu encontrei o livro na sessão de biografias de uma livraria e bom, como gostei muito da série no Netflix, decidi comprá-lo. 

girlboss treat your mind like money

A atitude de Sofia Amoruso na série é bem aproximada a do livro, assim como o seu tom de voz e forma de pensar. Separei alguns pontos que achei relevantes na história da Nasty Gal (seja do livro ou da série):

Atitude e Confiança

Acho que de tudo que li o que mais me chamou atenção foi a atitude e a confiança de Sophia Amoruso. Por mais diferente que Sophia seja, a sua postura parece transmitir razão em todos os aspectos por mais insanos que possam ser.

Hacks (se virar com o que tiver)

No início, para gerar tráfego para a sua loja no eBay, Sofia adicionava pessoas que se identificavam com a sua marca através do myspace.

Ela utilizava as redes sociais para se aproximar da sua persona e gerenciava a sua loja no eBay de forma a responder absolutamente cada uma das suas clientes.

dream big, start small

Customer First

Desde o começo a preocupação dela em surpreender as suas clientes e evitar críticas negativas estava no centro do seu business.

Branding (USP)

A Nasty Gal era diferente de todas as lojas vintage do eBay. Na época em que Sofia lançou as suas primeiras roupas no eBay, ela estava muito focada em atender um determinado perfil que nada mais era próximo a ela mesma e as garotas com o seu perfil, que queriam possuir um guarda-roupa diferenciado e único.

Comunidade

Nasty Gal é uma comunidade de mulheres com um estilo diferenciado. O livro de Sophia é carregado de depoimentos de diversas mulheres sobre o que é ser uma #GIRLBOSS (outra comunidade que ela desenvolveu).

Total dedicação e foco:

A Nasty Gal tinha uma agenda bem definida de como utilizaria toda a sua semana, desde os editoriais, até as compras nos brechós, a costura e entrega.

No meio de tudo, acompanhava os leilões no Ebay, a concorrência e desenvolvia a sua comunidade de Nasty Gals no myspace.

Inbound

Toda descrição dos produtos era muito bem pensada. Das thumbnails dos produtos até o título e descrição do look.

Seus editoriais de moda e descrições na verdade eram um serviço a sua comunidade: oferecia dicas gratuitas de como se vestir dentro das tendências de moda.

Visão

Acho que o que mais compactua com ser uma #GIRLBOSS é acreditar em si mesma. Como a história do barbante vermelho – Mas isso vou deixar pra você entender quando ler o livro (ou assistir a série).

 

E você, já leu o livro ou assistiu a série? O que achou? Deixe o seu comentário.