Durante a semana passada estive no maior evento de marketing digital do país: o RD Summit. O evento aconteceu aqui em Florianópolis e reuniu mais de 3.000 pessoas de diversos setores.

Foram dois dias de imersão no marketing digital. E, além de trazer formas de usar a tecnologia e o digital no setor de marketing, mostrou faces de diferentes pessoas, e o business de uma forma muito humanizada e apaixonante: como diferentes negócios sucederam com o marketing na Internet, na era mobile, seja com o seu site ou com as redes sociais e com clientes.

Por muito tempo, trabalhei com o mais tradicional formato de marketing e comercial. A minha experiência de trabalho ‘tradicional’ apesar de me dar o know-how necessário para compreender e aplicar um setor de marketing em uma grande indústria, me deixou com alguns resquícios ruins: o principal deles é a não necessidade de comprovação do ROI – Return of Investment ou Retorno de Investimento.

Felizmente, ao participar do RD SUMMIT, pude observar uma série de idéias para aplicar um marketing mais inteligente e que – para o meu desafio e de muitos marketeiros por aí – tem como objetivo de trazer o maior ROI possível.

Foram centenas de palestras simultâneas e eu busquei acompanhar, além das palestras principais, a trilha de marketing avançado, que foi apenas uma das diversas trilhas que estavam acontecendo ao mesmo tempo.

Abaixo segue um apanhado geral do que eu vi durante o evento e espero que possa ser útil e iluminador para você como foi para mim 🙂

29 de outubro

Sujan PatelEscritor do livro 100 Days of Growth, da Forbes e ode utros veículos fodas, Sujan Patel é um dos co-fundadores do contentmarketer.io

A palestra de Sujan Patel, que abriu o RD Summit, falou sobre Growth Hacking. Alguns dos tópicos valiosos mencionados:

T-Shaped Marketer:

O novo profissional de marketing da Internet deve ter o mínimo de expertise em diferentes tópicos – inclusive saber programação – e ter um conhecimento aprofundado em um tópico específico, que será o seu diferencial. Para saber um pouco mais em como chegar lá, segue algumas referências (em inglês): Os Novos Profissionais de Marketing da Internet  MOZ: The T-shaped Web Marketer e Growth Rocks!

novo profissional marketing internet

O novo profissional de marketing da Internet ‘sabe de tudo’ um pouco e tem um conhecimento aprofundado em determinada área.

Algumas ferramentas apresentadas:

Intercom: para se comunicar com os consumidores (automação de marketing, live chat, suporte e feedback).

Optimizely: testes A/B; Otimização de páginas.

Hello Bar: uma barra para colocar CTA’s de acordo com a página visitada pelo usuário.

Visual Website Optimizer: teste A/B; Otimização.

Mais ferramentas aqui.

Um dos fundamentos do Growth Hacking é testar, testar, testar e aperfeiçoar e apostar apenas se a ideia funcionar. Uma ideia que funciona é uma ideia que traz maior percentual de conversão, por isso a necessidade de trabalhar constantemente com otimização de páginas.

Quanto ao setor de Growth Hacking em uma empresa, deve ser trabalhado de forma a refinar ideias que funcionam com dois tipos de mindsets que são opostos mas que se complementam:

DATA-DRIVEN | CREATIVE

Por fim, deve-se desenvolver uma cultura de transparência e compreender erros. Estima-se que em GH (Growth Hacking) para cada 3 fracassos, há um sucesso. Deve-se justificar os fracassos e entendê-los assim como deve-se priorizar as ações baseadas no seu impacto.

GH contribuindo para a empresa:

Vendas: free trials, garantia de 15 dias, upgrade early.

Produto: gamificação, progress bar, help wizards.

CTA (Call-to-action) UBER em destaque no topo da página.

CTA (Call-to-action) UBER em destaque no topo da página.

Customer Support: no suporte ao consumidor, o GH deve trabalhar para executar hacks para a retenção do cliente. Isso pode ser feito através de free swag packages, NPS tutorials, cartões escritos à mão e tutoriais educativos.

Sugestão para o suporte ao cliente | retenção do consumidor: escrever cartões à mão.

Customer Success: o GH deve incentiver a lealdade do cliente à marca com ambassador programas e random customer giveaways.

Development: apoiar com informações sobre a jornada de compra, landing pages e dar informações sobre o cliente (provide data!!!)

Para participar do grupo de Growth Hacking Brasil no Linkedin, clique na imagem abaixo:

Ainda, falando em marketing digital, as próximas duas palestras foram do Felipe Spina e do Gabriel Costa, ambos da Resultados Digitais. Para conferir na íntegra, você pode baixar as palestras nos links abaixo:

Felipe Spina | Como comprar mídia para empresas B2B

Gabriel Costa | Como começar a trabalhar com Growth Hacking de Verdade

Após, teve a palestra do Rafael Damasceno da SuperSonic, que falou quase que exclusivamente sobre Otimização de Conversão – CRO. Ele ainda anunciou um curso que será realizado sobre CRO e você pode se cadastrar aqui para participar. Algumas frases de impacto da apresentação:

Mude sua visão de site bonito para site eficiente. | Trate oportunidades como problemas. Cada dia com uma página ruim no ar é dinheiro jogado fora.

Em seguida ocorreram as palestras do Lincoln Murphy, da sisteenventures sobre Customer Success  e do Eric Santos, CEO da Resultados Digitais, na plenária principal.

Lincoln Murphy sobre Customer Success: esta palestra foi muito relevante por mencionar um ponto crítico nas empresas que utilizam o inbound marketing como estratégia, que é a manutenção do cliente. Para Lincoln, a venda inicial é apenas o topo de uma relação longínqua e duradoura que deve ser formada com o cliente.

Como escreve Peter Drucker, o papel das empresas está em criar e em manter os seus consumidores.

Falando em Customer Success, deve-se cruzar o potencial e as características do cliente com o que o seu produto oferece. Há encaixe técnico? Há encaixe financeiro?

Neste sentido, fica a pergunta: vale a pena vender para clientes que não tenham o encaixe / fit com o que a sua empresa está vendendo?

Mais importante ainda, deve-se considerar o Customer Lifetime Value, que é o valor que um cliente tem para a sua empresa durante um longo período de tempo.

Isso é extremamente crítico para empresas de Saas – Software as Service – pois você precisa saber o valor que o seu cliente tem para o seu negócio (durante quantos anos o seu produto será utilizado, por exemplo).

Enter the conversation already taking place in the customers mind

ROBERT COLLIER, 1937

Esta frase, apesar de ser da década de 30, é muito atual e fecha exatamente com o que organizações devem buscar que é entender o consumidor e ser conveniente, seja na venda, no suporte, até mesmo na forma de educar….. Pensar sempre no que se encaixa na realidade de cada pessoa…

O Eric Santos, um dos co-fundadores da Resultados Digitais, fez uma palestra incrível em que contou um pouco da trajetória da empresa desde que era uma startup até agora que conta com 230 funcionários, 3000 clientes e 400 parceiros. Ficou a pergunta, que permanece como desafio da RD:

Como entregar sucesso de forma consistente, previsível e escalável?

Foi uma palestra muito emocionante e honesta, pois como se sabe por vezes o inbound marketing não funciona, mas para todas as vezes que funciona, a RD tem mapeado e notado semelhanças nas formas de alcançar este sucesso. Enfim, não há fórmula mágica mas uma trajetória a ser trilhada, uma montanha a ser escalada ou um trilho a ser percorrido…

No fim, terminei a trilha de palestras de marketing avançado, assistindo ao Diego Gomes, um dos sócio-fundadores da Rockcontent e ao Henrique Carvalho do viverdeblog.com

O Diego Gomes da Rockcontent realizou a palestra Formas Efetivas e Não Convencionais de gerar mais Leads e trouxe muitos insights legais.

Já o Henrique Carvalho causou muita emoção com a sua trajetória de vida. Você pode conferir aqui a jornada dele.

A imagem abaixo resume muito do que foi falado por ele:

Imagem da Apresentação do Henrique Carvalho